Riqueza = Mais qualidade de vida?

Riqueza = Mais qualidade de vida?

Um país com mais saúde financeira não garante necessariamente maior qualidade de vida para os seus cidadãos, como aponta o Índice de Progresso Social (SPI em inglês) de 2016.

O SPI classifica os países de acordo com o seu progresso em termos sociais, o que inclui fatores como as oportunidades existentes, os cuidados de saúde, a educação ou a tolerância. E, embora o nível de qualidade de vida tenha tendência para aumentar em consonância com o crescimento do PIB (produto interno bruto), não garante os níveis mais altos de progresso social (este último definido pelo SPI como “a capacidade duma sociedade de suprir as necessidades humanas básicas dos seus cidadãos, estabelecer os suportes que permitem aos cidadãos melhorarem as suas vidas, e criar as condições para indivíduos e comunidades atingirem o seu potencial máximo”).

O Índice de Progresso Social “prova que o PIB não é destino. Precisamos de mais países como a Costa Rica, que concentra bastantes formas de progresso social fora do seu modesto PIB”, afirma no documento Michael Green, diretor executivo da organização sem fins lucrativos Social Progress Imperative, com sede nos EUA. Ou seja, há mais na vida do que apenas dinheiro, nomeadamente as liberdades sociais, os cuidados de saúde acessíveis e a educação.

A Finlândia é o país com melhor desempenho este ano no SPI, seguida pelo Canadá, a Dinamarca, a Austrália e a Suíça. Mas, como é referido no relatório, apesar de as pontuações destes países em termos de progresso social serem muito semelhantes, os PIB per capita variam bastante.

David Cruickshank, global chairman na Deloitte, declarou entretanto à Business Insider que as nações, empresas e grupos de consumidores podem aprender muito com este índice, porque lhes permite avaliar os pontos fortes e fracos de um país e saber onde precisam de melhorar as operações para compensar. “À medida que o mundo enfrenta um conjunto cada vez mais complexo de desafios globais, o SPI serve como um roteiro que pode orientar políticas de investimento, decisões de negócio e sobre recursos”, acrescenta o executivo.

Fontes: Social Progress Imperative/Business Insider

06-07-2016 


Portal da Liderança