Oceanos sob pressão

Oceanos sob pressão

Os oceanos fornecem metade do oxigénio que torna o nosso planeta habitável e, só na última década, absorveram cerca de 30% do dióxido de carbono emitido pela indústria existente.

Biliões de pessoas dependem dos oceanos para subsistirem – quase metade da mortalidade infantil é causada por subnutrição, sendo que o pescado fornece acesso a nutrientes saudáveis como a vitamina B12, ácidos gordos ómega-3. E também há biliões de pessoas que dependem dos oceanos para se sustentarem – estima-se que o valor económico dos bens e serviços gerados a partir dos oceanos seja de 2,5 triliões de dólares por ano (cerca de 2,2 triliões de euros).

Mas hoje os vitais oceanos – Antártico, Ártico, Atlântico, Pacífico e Índico, bem como milhares de outros cursos de água – estão em perigo devido à enorme pressão dos seres humanos, que os ameaçam em várias frentes, que vão desde a destruição do habitat à sobrepesca, passando pelas alterações climáticas e poluição. Os recifes, por exemplo, outrora plenos de colorida vida aquática, foram sufocados por lodo e poluição.

Prevê-se que, em 2050, haja mais plástico que peixe nos oceanos. Atualmente já há mais de 5 triliões de pedaços de plástico a circular nas correntes marítimas. Grandes bocados de plástico que estão a fragmentar-se em microplásticos que por sua vez se introduzem nas cadeias alimentares marinhas, criando uma tremenda disrupção. E continuando a poluir as águas.

Fonte: Fórum Económico Mundial

16-09-2016


Portal da Liderança