Lições de liderança para voar mais alto por Sir Richard Branson

Lições de liderança para voar mais alto por Sir Richard Branson

O excêntrico e aventureiro Richard Branson, n.º 324 na lista de bilionários da revista “Forbes” em 2017, adora “inovar e ser diferente”. Talvez por isso não se coíba de tentar voos mais altos e enfrentar concorrentes de peso… o que lhe proporcionou aprendizagem de monta.

O fundador e chairman do grupo Virgin, Richard Branson, referiu numa curta visita à Austrália que “todos os dias aprendo algo novo”. O multimilionário de 66 anos adiantou que não foi “para a universidade. E digo sempre que a vida é um longo curso universitário que não tirei”. Com uma fortuna avaliada em 5 mil milhões de dólares (cerca de 4,4 mil milhões de euros), o empreendedor partilhou algumas lições de negócio:

1. Rodear-se de pessoas excelentes e delegar
Sir Richard diz que é importante conhecer os seus pontos fortes e os seus limites, e não tentar fazer demasiado sozinho. Em vez disso, precisa de encontrar as melhores pessoas com as melhores ideias para formar a sua equipa – e, em seguida, evite estar constantemente a duvidar delas. “Algumas vezes irão estatelar-se ao comprido. E algumas vezes vão fazer coisas incríveis”, refere. Adianta que já anda no mundo dos negócios há muito tempo e, “com a experiência adquirida, por vezes consigo dizer se gosto de algo ou não com base nos muitos anos a fazer as coisas. Mas rodeie-se de pessoas excelentes”. E “delegue. Há demasiadas pessoas a construir companhias, e que não estão a delegar. A chave absoluta é, logo na fase inicial da empresa, tentar colocar-se fora do negócio. E encontre uma ou duas pessoas que são melhores em tudo o que faz”.

2. Espalhar-se ao comprido desde que se levante em seguida
Para Sir Richard o fracasso é uma experiência de aprendizagem. E dá o exemplo da bebida Virgin Cola, lançada em 1994 na Grã-Bretanha. O produto teve bons resultados durante cerca de 18 meses, o que atraiu a atenção da gigante Coca-Cola, que teve a capacidade financeira para ripostar. E, de repente, a Virgin Cola desapareceu das prateleiras do grande retalho. “Muitas pessoas espalham-se ao comprido. A chave na vida é aprender com essa experiência, levantar-se e continuar a reinventar-se até conseguir. É o que a maioria das pessoas bem-sucedidas fez. É aprender e não desistir quando acontece. E há de acabar por ficar por cima”.

3. Certificar-se de que tem um produto melhor que o incumbente
Sir Richard refere que a principal lição a retirar do flop Virgin Cola é garantir sempre que tem um produto “muito, muito melhor” que a concorrência. “Obviamente, num refrigerante, não há muito que possa fazer para o diferenciar”. Mas “quando a British Airways tentou fazer a mesma coisa com a Virgin Atlantic, como a qualidade do nosso produto era melhor, não conseguiu. Ou quando a Qantas tentou fazê-lo com a Virgin Australia: infligiu tantos danos nela própria que acabou por recuar. E ainda teve de ir pedir ajuda ao Governo, tendo perdido centenas de milhões de dólares com a tentativa de nos levar a sair do mercado. Quanto a nós, tivemos de nos certificar de que mantínhamos a qualidade”.

4. Fazer o que puder para promover o negócio de graça
Sir Richard conta que, quando lançou a Virgin Atlantic, o empreendedor Sir Freddie Laker (1922-2006) – que foi à falência ao lutar contra a British Airways – lhe deu um conselho crucial na sua luta contra um rival com capital por detrás. “Disse-me que tem de se usar a si mesmo para que as pessoas conheçam o seu negócio”. E “não gaste fortunas em publicidade – saia, faça figura de tolo, faça o que for preciso para colocar a sua mensagem lá fora”. Assim, “para quem está a começar um negócio, se tem o melhor produto, tem de o comunicar às pessoas e colocá-lo no mercado de forma inteligente”.

14-10-2015

Fonte: SMH.com.au